Conheça o Digesto PROCON

Para empresas com atuação nacional e com grande público consumidor, obtemos junto aos sistemas online de dezenas de Procons estaduais (SINDECs) e demais sistemas web municipais as novas Cartas de Informação Preliminar (CIPs) registradas em nome de sua empresa.

Como funciona

Para cada nova CIP obtida, realizamos o tratamento dos dados, classificando automaticamente a reclamação dentro de um conjunto de critérios pré-estabelecidos. A automatização deste processo acelera a análise e resposta à carta.

Nossa tecnologia exclusiva pode realizar o cadastro das CIPs diretamente nos sistemas de sua empresa, ou enviar relatórios diários.

Em casos determinados e muito repetitivos, nosso sistema pode também gerar respostas automáticas ao Procon.

Funcionamento Digesto Cadastros Procon

Funcionamento Digesto Cadastros Procon

Benefícios

Aumento do índice de respostas ao Procon dentro dos prazos. Com maior eficiência no processo de registro e tratamento de reclamações do Procon, é possível reduzir o volume de litigância posterior.

Redução dos erros humanos de cadastro e atualização do ERP (sistema corporativo para gestão jurídica) e sistemas de atendimento ao consumidor.

Mão de obra humana melhor empregada obtendo subsídios, trabalhando em células de negociação, ao invés do esforço repetitivo de triagem, digitalização e digitação manual de reclamações.

Saiba mais em www.digesto.com.br/servicos ou entre em contato conosco no e-mail digesto@digesto.com.br!

Conhecendo o Digesto Cadastro e seus benefícios

O Digesto Cadastro se destina ao departamento jurídico de empresas que sofrem com a:

  • falta de prazo para contestação;
  • falha na digitação dos dados;
  • alto índice de revelia;
  • altos custos com diligências e terceirizados para a obtenção e alimentação do ERP Jurídico com cópias de petições e anexos.

Como funciona

Como Funciona o Digesto Cadastros

Obtemos junto aos sistemas online dos tribunais e seus diários oficiais os novos processos distribuídos envolvendo as partes de seu interesse. Para os processos em tribunais digitalizados, obtemos também uma cópia da inicial e demais anexos de cada processo.

Realizamos o tratamento desses dados, por meio de checagens de dados das partes junto a cadastros da Receita Federal, filtrando apenas para as localidades, partes ou assuntos/naturezas de processos de interesse.

Nossa tecnologia exclusiva realiza a leitura por máquina do conteúdo das petições iniciais, classificando então automaticamente cada novo processo em categorias (tipo de ação, causa raiz, produtos mencionados e assuntos principais), de acordo com suas categorias de cadastro. E, por fim, cadastramos automaticamente os processos que passaram nos filtros e nas regras de negócios, diretamente no seu ERP Jurídico, evitando erros de digitação.

Benefícios

Ampliação do prazo de contestação de 15 para, aproximadamente, 30 dias, com a consequente redução dos índices de revelia.

Redução dos erros humanos de cadastro e atualização do ERP do Jurídico Contencioso e Estratégico.

Mão de obra humana melhor empregada obtendo subsídios, trabalhando em células de negociação, ao invés de esforço repetitivo de triagem, digitalização e digitação manual.

Redução dos custos com diligências e terceirizados para obtenção e alimentação do ERP Jurídico com cópias de petições e anexos.

Maior qualidade aos cadastros: validação de processos duplicados, fraudes, cruzamento com dados da Receita, OAB, e até sistemas internos.

Saiba mais em www.digesto.com.br/servicos

Plataformas de Dados em debate

O Digesto foi um dos convidados para participar da Oficina de Trabalho sobre Plataformas de Dados promovida pela Controladoria Geral do Município de São Paulo, nesta quarta-feira (25/06). O encontro teve como objetivo discutir conteúdos e funcionalidades para a criação e o aperfeiçoamento de sistemas eletrônicos da Prefeitura de São Paulo por meio de plataformas eletrônicas que visam dar ainda mais transparência aos dados da Administração Pública Municipal.

Em sua participação no evento, o advogado Tomás Camargo, co-fundador do Digesto, debateu sobre formatos abertos como XML ou JSON para a publicação de matérias do Diário Oficial, além de explicar a plataforma desenvolvida e as funcionalidades do Digesto, que oferece um serviço exclusivo de busca de jurisprudência.

Tomás destacou também o grande desafio de coletar e organizar dados e o elevado custo envolvido, fazendo com que somente informações com alto valor econômico agregado sejam estruturadas. “Sai uma alteração no Código Civil e, na hora, já tem um livro pronto. Agora, se queremos pesquisar as normas da regional de Itaquera, por exemplo, vamos ter que folhear diversos PDFs, pois os dados não estão estruturados”, exemplifica Tomas, ressaltando que “é uma função do Estado reduzir o custo da primeira etapa do processo de análise de dados, ou seja, de coleta e de estruturação da informação, pois o resto vem automaticamente”.

Confira a programação oficial da oficina de trabalho

Portal Concorrência

Na última sexta-feira, dia 16 de maio, lançamos o Portal Concorrência, uma versão do Digesto com decisões administrativas do Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE. O lançamento contou com a participação do atual Presidente do CADE, Vinicius Marques de Carvalho, nosso parceiro no projeto e ex-presidente do CADE, Prof. Gesner de Oliveira, a presidente do IBRAC (Instituto Brasileiro de Estudos de Concorrência, Consumo e Comércio), Cristianne Zarzur.

O Portal Concorrência tratou com OCR (reconhecimento de caracteres), mais de 80 mil documentos do CADE. Assim documentos que antes estavam disponíveis somente no formato de imagem passaram a ser pesquisáveis. Acreditamos que a ferramenta será muito útil para todos que atuam na área de defesa da concorrência, além ajudar na promoção e difusão da cultura de defesa da concorrência.

Visitem o www.portalconcorrencia.com.br !

Abaixo a apresentação efetuada na ocasião, onde também explicamos um pouco mais do Digesto.

 

Eis o Digesto!

Eis o Digesto!

Agora na nossa recepção.

Radar Oficial para Advogados

Página de Alertas do Radar Oficial

Página de Alertas do Radar Oficial

Desde que o Digesto incorporou o Radar Oficial (www.radaroficial.com.br), venho me dedicando a usar a ferramenta e entender como ela pode auxiliar no dia a dia de um advogado. O objetivo inicial da incorporação foi, além de trazer como sócios a excelente equipe do Radar Oficial, agregar a enorme base de informações do Radar ao nosso sistema, que são utilizadas no nosso produto de Legal Analytics (em beta fechado), e do qual ainda falaremos muito.

No entanto, utilizando o Radar Oficial no dia a dia me encantei com ele e identifiquei várias situações em que a ferramenta pode ser extremamente poderosa. Sou usuário bastante frequente e a primeira coisa que leio na manhã é o e-mail de acompanhamento que o Radar me envia.

É importante esclarecer que o Radar é diferente das ferramentas tradicionais de recorte voltadas ao acompanhamento de prazos processuais com base no número da OAB, ele até pode substitui-las, mas não é o objetivo principal.

As três principais diferenças são, (i) a cobertura do Radar está em constante expansão e não está limitada aos diários judiciais, mas também inclui os diários do poder executivo, de vários municípios e os principais diários empresariais e de juntas comerciais do país, e (ii) absolutamente qualquer termo pode ser monitorado, não estando limitado a nomes próprios e OAB.

Listo agora os principais usos que venho fazendo do Radar Oficial:

1. Meu nome. Assim acompanho as publicações, não só as judicias, mas também nas atas de assembleias geral em que participo como secretário ou procurador, bem como movimentação de processos administrativos junto ao poder executivo;

2. Nome de Clientes. Esta foi uma das funcionalidades mais importantes, inclui o nome de todos os meus principais clientes no Radar, assim fico sabendo imediatamente da propositura e andamento das ações, mesmo aquelas que o escritório não é o responsável. Determinados clientes tem muitos processos judicias e não me interessa ficar recebendo o andamento de todos eles, nestes caso incluo o nome do cliente seguido dos assuntos que me interessam, ou menção ao órgão administrativo que esteja acompanhando, por exemplo “nome do cliente” CVM;

3. Assuntos Jurídicos de Interesse. São escassos os precedentes judiciais em direito societário, assim inclui nos termos monitorados, expressões como “acordo de acionistas”, “exclusão de sócio”, “compra e venda de ações”, também inclui questões regulatórias de interesse do Digesto, como “lei de acesso à informação” entre outras. É muito útil para ser avisado sobre decisões em assuntos de interesse.

4. Busca de Precedentes Societários. Indexamos os principais diários oficiais empresariais onde são publicados os atos de sociedades anônimas. Estes diários tornam-se uma excelente base de precedentes.

5. Problemas Cabeludos. Todas as vezes em que você se ver diante de um problema que nunca ouviu falar, pesquise no Radar, as chances de algo semelhante já ter saído alguma vez em algum diário oficial do Brasil é grande.

Visite o Radar Oficial: http://www.radaroficial.com.br

——

Exclusivamente em Janeiro, assine o Radar Oficial com 50% de Desconto.

 

Digesto no Atualidades do Direito

 

Gostaríamos de dividir que o Digesto também pode ser acessado diretamente do Portal Atualidades do Direito (www.atualidadesdodireito.com.br) e convidamos vocês a conhecerem o Atualidades do Direito, um excelente trabalho dos Professores Alice Bianchini e Luiz Flavio Gomes, que possui um rico conteúdo em texto e vídeos, além de contar com os melhores blogueiros jurídicos da internet brasileira.

 O Digesto é pioneiro no uso de dados para melhor entender questões jurídicas. É um grande orgulho estar ao lado do Atualidades do Direito na tarefa de entender, pesquisar e divulgar a jurisprudência dos nossos tribunais.

 

Nova Home do Digesto

Em outubro completamos nosso primeiro semestre no ar, assim gostaríamos de agradecer a todos vocês que estiveram conosco neste período. Nossa base de dados já inclui 10 milhões de decisões de 25 dos nossos principais tribunais, número que vem crescendo todas as semanas. Levando em conta os comentários e sugestões recebidos de vocês, inauguramos hoje uma nova página de pesquisa e exibição dos resultados.

 Nesta revisão, o nosso principal objetivo foi facilitar o acesso às ferramentas para filtrar uma busca, as quais agora ficam concentradas no lado esquerdo da página de resultados. A página de pesquisa avançada foi totalmente redesenhada e vale a pena experimentar.

 Outra funcionalidade que encorajamos todos a utilizarem são as pastas para arquivar e organizar pesquisas. Assim, caso uma mesma pesquisa tenha de ser refeita no futuro, é muito mais rápido começar utilizando as decisões arquivadas no passado.

 Agradecemos às visitas. E continuaremos trabalhando para fazer do Digesto a melhor e mais rápida ferramenta para busca de jurisprudência. Como sempre, comentários e sugestões são bem vindos.

Visite o Digesto!

O curioso caso do typo viral

Sabemos que na internet fotos de gatos, filmes de publicidade, supostos textos do Veríssimo e até atos obscenos se transformam em “virais”, ou seja, aquele conteúdo que é compartilhado espontaneamente por milhões de pessoas de forma desorganizada, quase que por combustão espontânea.

Todos nós, com maior ou menor frequência, cometemos um “typo”, aquele erro de digitação chato que envolve a troca de uma letra ou de um número por outro e, como veremos, até ministros do Supremo cometem typos.

Ocorre que na era do “copie e cole” estes typos podem se tornar virais. E foi exatamente o que ocorreu com uma decisão do Ministro Dias Toffoli no RE 626.307/SP, que ao determinar a suspensão de um processo de repercussão geral (o processo envolve a correção monetária de poupança no plano Collor), citou o artigo equivocado do Regulamento Interno do STF. Ao invés de citar o Art. 328, citou o Art. 238 do polêmico Regulamento, que não tem absolutamente nada a ver com o tema em questão.

No julgamento dos Embargos de Declaração, o próprio ministro reconheceu “typo” e manteve a decisão original esclarecendo apenas o erro material.

Ocorre que o estrago já estava feito… juízes e tribunais pelo Brasil afora copiaram e colaram a decisão original, o que fez com o que o Art. 238, antes quase ignorado, tornasse um dos 100 artigos mais populares do nosso banco de dados no ano 2012.

Image

Este “typo” também mostra como pode ser engraçada a relação entre o homem e a máquina. Em um primeiro momento, a equipe do Digesto achou que não era o ministro que estava errado, mas sim o sistema. Algumas horas de trabalho e acaloradas discussões entre advogados e engenheiros, ficou claro, sim o ministro estava errado e o Digesto certo.

O que nos lembrou um ensinamento do psicólogo e prêmio nobel de economia Daniel Kahneman:

“Whenever we can replace human judgment by a formula, we should at least consider it.”

(Tradução livre: Sempre que você puder substituir o julgamento humano por uma fórmula, você deve ao menos considerar.)

Teste você mesmo:  http://diges.to/1gBaJMc

———-

Texto dos Artigos:

Art. 238. O prazo para a defesa prévia será de cinco dias e contar-se-á do interrogatório ou da intimação do defensor dativo.

Art. 328 –  Protocolado ou distribuído recurso cuja questão for suscetível de  reproduzir-se em múltiplos feitos, a Presidência do Tribunal ou o(a) Relator(a), de ofício ou a requerimento da parte interessada, comunicará o fato aos tribunais ou  turmas de juizado especial, a fim de que observem o disposto no art. 543-B do código  de Processo civil, podendo pedir-lhes informações, que deverão ser prestadas em  5 (cinco) dias, e sobrestar todas as demais causas com questão idêntica.

Digesto e Radar Oficial

Gostaríamos de compartilhar com nossos usuários que o Digesto (http://www.digesto.com.br) incorporou o Radar Oficial (http://www.radaroficial.com.br).

O Radar Oficial é a mais completa ferramenta de monitoramento de diários oficiais, e por ter sido construída com uma tecnologia inovadora consegue praticar preços revolucionários e alterar a forma como a informação dos diários oficiais é consumida.

Com o monitoramento de diários oficiais é possível saber a propositura de ações antes da citação, andamento nas juntas comerciais, INPI e a movimentação em processos. Ao permitir a criação de vários termos monitorados o usuário consegue monitorar seu nome, o de parentes, empresas, clientes e concorrentes.

Experimente agora mesmo o plano Empresarial do Radar Oficial, grátis, por 30 dias.  Sem cartão de crédito, sem qualquer taxa, cancele a qualquer momento.

Exemplo de alerta por e-mail

Exemplo de alerta por e-mail

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.